A música gospel teve a sua origem nas igrejas afro-americanas do Séc. XVIII, onde os crentes, na sua maioria de raça negra, cantavam músicas com textos adaptados das sagradas escrituras (daí o termo espiritual negro). Começou a popularizar-se na década de 30 do Séc. XX no sul dos Estados Unidos, graças sobretudo a Rosetta Tharpe, a primeira grande compositora, cantora e guitarrista deste género musical.

          A música Gospel diferencia-se dos hinos cristãos tradicionais pelo seu carácter ligeiro. O termo deriva do inglês “GodSpell” que em português se pode traduzir como “Palavra de Deus”. Esta forma de cantar ficou assim denominada por se tratar de um canto de chamada das pessoas para que se unam na vida com Deus, uma chamada à santidade, à vida cristã na sua forma mais simples.

          Com a diminuição nos últimos 50 anos das fortes divisões entre brancos e negros nos Estados Unidos, especialmente entre igrejas de brancos e negros, o Gospel tornou-se num estilo musical universal, cantado por coros de todas as raças, de homens, de mulheres e, mais recentemente, por coros mistos.

          Esta universalidade levou a que o Gospel deixasse de ser cantado exclusivamente em igrejas. Contrariamente a Mahalia Jackson que cantava apenas em contextos religiosos, outros intérpretes de referência como Golden Gate Quartet, Reverendo Timothy Wright e Clara Ward começaram também a cantar noutros locais, incluindo clubes nocturnos. Os textos deixaram também de ser exclusivamente religiosos, sendo referência a este nível intérpretes como Al Green, Solomon Burke o Aretha Franklin que tanto cantavam temas Gospel religiosos como seculares.

          Toda esta evolução levou ao aparecimento de inúmeros sub-géneros do Gospel Tradicional, incluindo o Reggae Gospel, Black Gospel e New Gospel que incorporam outros estilos musicais, incluindo os Blues, e que emprestam ao Gospel uma grande liberdade e vitalidade.

          O Gospel deixou também de ser cantado apenas em igrejas evangélicas e em língua inglesa, sendo actualmente cantado em outras igrejas cristãs, incluindo em igrejas católicas, especialmente na América do Sul onde ganhou grande expressão. Também na Europa a expressão do Gospel é crescente, incluindo em Portugal…